Ministério Público de Contas diz que contratos assinados por Maguito foram ilegais

O procurador-geral de Contas em exercício, Fabrício Macedo Motta, disse em nota enviada à imprensa que o Ministério Público de Contas manifestou-se reiteradas vezes contra a licitação promovida pelo prefeito de Aparecida, Maguito Vilela (PMDB), para escolher as empresas que recolheriam o lixo da cidade a partir daquele momento.

Fabrício Motta argumenta que, em vez de dividir o certame em vários lotes, de modo a ampliar a concorrência baixar o preço dos contratos, Maguito a fez em apenas dois lotes – o que beneficiou duas empresas: a Almeida Neves e a Delta Construções.

A nota foi publicada na coluna Fio Direto da última sexta-feira, 9 de janeiro. 

O MP diz que o “erro” de Maguito causou prejuízo de R$ 12 milhões aos cofres públicos.

Que mancada, hein prefeito?