Denúncia grave: Altair insinua que deputados da oposição se venderam por disposições

Num texto postado no blog Diário de Goiás, o jornalista Altair Tavares faz denúncia grave que merece ser apurada pelo Ministério Público e respondida pela Assembleia. Num longo texto, recheado de informações oficiais, Altair encadeia uma série de situações que levam o leitor a crer que os deputados da oposição se venderam em troca de disposições de servidores.

Veja o texto:

CENA 1 – DOCUMENTO – DIÁRIO OFICIAL – QUINTA, 21.03.13

Por meio das Portarias nº 616 e 619/2013, o Secretário da Casa Civil, Wilmar da Silva Rocha, com ônus para os órgãos de origem, mantém à disposição da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (ALEGO), no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2013, 178 servidores.

Boa parte deles ocupantes, exclusivamente, de cargos em comissão no Poder Executivo.

É de se ressaltar que, de acordo com a fascinante falta de técnica legislativa do artigo 34 da Lei Estadual nº 10.460/88, sem falar em sua evidente imoralidade, é possível se colocar até 820,5 servidores à disposição do Poder Legislativo, com ônus para o Poder Executivo, avaliam fontes consultadas pelo Diário de Goiás.

A prática já foi questionada pelo Ministério Público de Contas em pelo menos duas representações. (Veja aquí, e aquí)

Qual o interesse público na disposição de 178 servidores do Executivo para o Legislativo, com ônus para o primeiro?

CENA 2 – INTERNA – ASSEMBLEIA LEGISLATIVA – TERÇA, 26.03.13

Por 30 votos a 6, os deputados estaduais derrubaram o Decreto Legislativo que analisava o pedido do Superior Tribunal de Justiça para processar Marconi Perillo (PSDB) e Alcides Rodrigues (PP) por causa de fatos denunciados na campanha eleitoral de 2006 em relação a abuso de poder econômico.

Alcides já responde sobre o fato na Justiça de Goiás, depois que perdeu o foro privilegiado.

O caso mais emblemático é o fato de que deputados da oposição a Marconi votaram a favor dele.

A votação foi secreta, conforme o regimento da Assembleia Legislativa.

Mas, na oposição, declararam que votaram pela aprovação da autorização do processo contra o governador:

– Francisco Gedda (PTN);

– Major Araújo

– Mauro Rubem (PT).

– Karlos Kabral (PT).

– José Essado (PMDB)

– Justificativas: Luiz César Bueno (PT) estaria em viagem.

Na sessão os deputados oposicionistas eram 12. Portanto, há seis nomes de deputados da oposição que teriam votado com o governo de Marconi.

CENA 3 – PALÁCIO DAS ESMERALDAS – DÉCIMO ANDAR

Comemoração total de uma vitória que já seria segura com os votos dos deputados governistas, mas foi muito além da expectativa.

Além de uma vitória política, o resultado conseguiu dividir o principal partido da oposição.

CENA 4 – REDES SOCIAIS – NOITE.

Entre os muitos tuiteiros que comentaram sobre a vitória marconista e a derrota da oposição, a deputada federal Iris de Araújo disse; “A inércia da oposição, o  interesse privado em detrimento do público,pode fazer com que choremos lagrimas amargas no futuro. Estou muito velha para fazer de conta que não ouvi o que não me agrada ,dizer o que não penso e rir do que não tem graça”.

O ex-secretário geral do PMDB, Kid Neto, disparou: “A mim não importa onde estejam, se não respeitam e não honram seu Partido, não merecem respeito e consideração”.