Drama que não acaba: moradores do Bairro Goiás reclamam da falta de médicos no Cais do setor

Veja matéria do site da rádio 730:

Moradores do Bairro Goiá em Goiânia reclamam da falta de médicos no CAIS do bairro

Última atualização em Terça, 14/01/2014 15:06h

De acordo com usuários do CAIS do Bairro Goiá, em Goiânia, a unidade de saúde não conta com médico às segundas-feiras.

Um morador do bairro, que pediu para não ser identificado, afirma que a situação já perdura quatro meses. “Eu fui ao CAIS há 15 dias, era uma segunda-feira, aí não tinha médicos. Eles me disseram que toda segunda-feira não há médicos no CAIS,” conta.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, que informou por meio da assessoria de imprensa, que há seis meses procura por médicos interessados em assumir os plantões de segunda-feira no CAIS do Bairro Goiá, mas não consegue encontrar.

Segundo a assessoria há médicos para os casos de emergência. O que falta são profissionais para o atendimento ambulatorial.

O PT já lançou o prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, como pré-candidato ao governo e a cada entrevista de um líder petista fica claro que o partido não aceita a imposição de Júnior Friboi como o nomde das oposições ao Palácio das Esmeraldas.

Em entrevista à Rádio Luz da Vida, nesta terça-feira (14), o deputado federal Rubens Otoni (PT) mandou indiretas ao empresário e disse que o PT tem o direito de apresentar Gomide. “Condição financeira não é preponderante na política. O candidato precisa ter diálogo com os outros partidos, tem que ter capacidade política e densidade eleitoral. Por isso que temos cuidado em apresentar critérios na escolha do candidato”, cutucou.

Essas são as principais críticas a Júnior Friboi: baixo desempenho nas pesquisas, nome desconhecido no interior do Estado e pouco diálogo com os aliados. Coincide com tudo que o irmão de Gomide listou na entrevista.

Rubens Otoni é conhecido por ser habilidoso e cuidadoso com as palavras. O parlamentar não quer abrir mais fissuras na aliança com o PMDB e por isso evita radicalismos. O que Otoni ressalta é que o PT vai sim apresentar nome e não vai se contentar em ser apenas um mero coadjuvante.

“O PT defende a unidade, mas queremos discutir. Não vamos aceitar prato feito e pronto. Quem tem interesse em definição, coloca o time em campo”, avisa o deputado.

Em tom político e, aparentemente amistoso, Otoni mandou mais recados. “Só a aliança com o PMDB não é suficiente, precisamos de alianças com outros partidos”. O parlamentar ainda reconheceu que Vanderlan Cardoso está longe da aliança porque em âmbito nacional o PSB vai ser contra a reeleição de Dilma Rousseff. No entanto, Otoni não descarta uma composição para segundo turno.