Iris e santillistas chamaram Mauro Borges de atrasado e coronel na campanha de 86

Mauro Borges nem sempre foi unanimidade na política goiana, como é agora, depois de morrer, aos 93 anos. Na campanha para o governo em 1986, Mauro disputou contra Henrique Santillo, apoiado por Iris Rezende, então ministro a Agricultura do governo Sarney.

Mauro havia rompido com o irismo e saiu do PMDB fazendo denúncias graves de corrupção contra Iris. Lançou em seguida candidatura ao governo pelo PDC, liderando uma frente de oposição que contava com dissidentes peemedebistas e ex-arenistas.A campanha foi milionária e pesada.

Iristas e santillistas acusavam Mauro de ser coronel e representar o atraso. Santillo, segundo eles, significava a modernização do Estado e usava o slogan “o passado não voltará”.

Santillo venceu Mauro, beneficiando pelos efeitos do Plano Cruzado. Na época o PMDB elegeu 26 dos 27 governadores.

Tempos depois, Iris e Santillo iriam romper e o irismo voltaria ao Poder em 1990.