Prefeito do PMDB suspende banco de horas da polícia e violência toma Bela Vista

O prefeito reeleito de Bela Vista, Eurípedes do Carmo (PMDB), suspendeu o pagamento do banco de horas para os servidores da área de segurança em setembro de 2012. Segundo prefeito, a prestação do serviço “deixou de funcionar a contento”. Uma onda de violência tomou conta do município.

De acordo com o prefeito, o pagamento de horas extras aos policiais custa, aos cofres do municípi, entre R$ 50 mil e R$ 60 mil por mês. Comandante da 3ª Companhia (Bela Vista) do 27º Batalhão da Polícia Militar, em Senador Canedo, o tenente Luiz Feitosa Tércio tranquiliza a população de Bela Vista e diz que a PM está se esforçando para controlar a onda de violência.