Repórter da Rede Clube denuncia que agenda do prefeito Paulo Garcia é secreta. E cobra transparência

O repórter Diogo Luz acaba de publicar artigo no Portal 730 cobrando transparência do prefeito Paulo Garcia, com a consequente divulgação de sua agenda de compromissos.

Veja o que ele escreveu:

A agenda secreta de Paulo Garcia

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), é daqueles que não gostam de ser questionados pela imprensa. Vira e mexe, encerra entrevistas quando as perguntas lhe tocam o calcanhar, outras tantas responde em tom ríspido ao ser confrontado com a realidade, como se estivesse indignado com uma conspiração dos fatos contra a propaganda oficial.

Se a falta de transparência é negativa para um político, é ainda mais nociva quando o portador tenta espalhar o vírus pela administração. A reportagem da Rádio e Portal730.com.br solicitou à Secretaria de Comunicação da Prefeitura acesso à agenda do prefeito. Um pedido simples, uma providência prosaica. A resposta define bem o norte da administração municipal.

A prefeitura informou que a agenda não é divulgada porque os eventos mudam muito de horário e que alguns compromissos são de interesse exclusivo do prefeito e da administração, sem divulgação na imprensa.

Argumentar que uma reunião de interesse da administração é também de interesse da sociedade é perda de tempo para quem confunde transparência com obscurantismo. Paulo Garcia caminha no sentido contrário ao da própria presidente Dilma Rousseff, que todos os dias publica parte da agenda do dia no site oficial. Não é muito, mas se Dilma divulga pouco, Paulo divulga nada.

Mais: vai contra a Lei de Acesso à Informação, que estabelece que a publicidade é a regra e o sigilo a exceção para a administração pública. Para ficar no exemplo utilizado pela própria prefeitura, uma reunião fechada entre os prefeitos e os vereadores é de sumo interesse social. Ela deveria ser realizada em praça pública e não acobertada como se estivessem à mesa raposas prestes a atacar o galinheiro.

O prefeito pode querer realizar as reuniões de interesse da administração na surdina. O trabalho da imprensa é fazer barulho.

Diogo Luz