Deu no Jornal O Hoje: prefeito Paulo Garcia chama vereador tucano de “irresponsável”

(Reportagem publicada pelo jornal O Hoje)

Vereador Geovani Antônio (PSDB): alvo de ataques violentos do prefeito Paulo Garcia (PT)
Vereador Geovani Antônio (PSDB): alvo de ataques violentos do prefeito Paulo Garcia (PT) neste sábado

Em discurso pronunciado ontem, na inauguração do Parque Ambiental Itaipu, o prefeito Paulo Garcia (PT) chamou o vereador Geovani Antônio (PSDB) de irresponsável, por ter apresentado emenda a projeto que o prefeito encaminhou à Câmara . A modificação propunha a redução da carga horária de servidores da saúde do município.

O processo de votação da emenda, na semana passada, provocou desgaste ao Paço, diante da pressão de servidores, que ocuparam a tribuna para pedir a derrubada do veto. Em vão. Como o placar ficou em 16 a 16, o presidente da Câmara, Clécio Alves (PMDB), deu o voto de minerva, desempatando a votação a favor do prefeito.

“A proposta que foi emendada por um vereador (não citou o nome) da oposição, um vereador irresponsável, vereador que só queria promover a balburdia, a confusão, queria criar impossibilidades de funcionamento do SUS, em Goiânia”, reagiu o petista. Disse ainda que o tucano nunca havia defendido trabalhador na vida dele. “Pelo contrário, sempre esteve ao lado dos poderosos. Sempre ao lado do capital.”

Em outubro do ano passado, Geovani aproveitou a tramitação de um projeto que Paulo Garcia havia enviado à Câmara para introduzir a polêmica emenda à matéria, a pedido de Fábio Caixeta (PMN), que curiosamente foi escolhido pelo próprio prefeito para comandar Secretaria Extraordinária de Articulação Política.

Ao pedir o favor ao colega tucano, Caixeta estava indiretamente legislando em causa própria, já que é servidor da área de saúde da Prefeitura e seria beneficiado caso o veto não fosse derrubado.

O projeto do prefeito tratava apenas de alterações nas leis referentes à carreira dos servidores públicos municipais. Visava dar continuidade à politica de aperfeiçoamento dos planos de carreira, com foco no incentivo à especialização e profissionalização, cujo objetivo seria a melhoria substancial dos serviços prestados à população.

Como relator da matéria, o vereador tucano introduziu a emenda que estabelecia a redução da jornada de trabalho, de 30 horas semanais para 20 horas, para 17 profissionais da área de saúde da Prefeitura, antes restrita a apenas três categorias: a de médicos, odontólogos e médicos veterinários.

Por um cochilo da base aliada e com o apoio de parte dos votos dela, o projeto do prefeito foi aprovado juntamente com a emenda, por um placar folgado, de 15 votos a favor, seis contra e uma abstenção.