Multinacional francesa aposta que projetos de VLT refletem nova tendência no Brasil

Reportagem publicada hoje no jornal Valor Econômico revela que a multinacional francesa Alstom aposta que investimentos do poder público brasileiro em trens e VLTs refletirão nova tendência no Brasil nos próximos anos. Um dos Estados a investir no VLT, como bem lembra a reportagem, é Goiás.

A Alstom acompanha o edital de licitação do governo goiano com especial interesse, bem como projetos no Porto Maravilha, do Rio, e na baixada santista. Com novos projetos a serem licitados no País, a companhia vê um ponto de virada para a divisão ferroviária, que deve ganhar crescente importância. “Em termos de evolução, é um momento importante, pois o Brasil era tradicionalmente um mercado de metrô e, agora, vamos entrar em novas linhas”, disse ao Valor o presidente mundial da Alstom Transport, Henri Poupart-Lafarge.

O VLT de Brasília, que foi adiado por problemas na licitação, também está no radar da Alstom, em sua reedição. Além de modelos semelhantes em países vizinhos, como Equador e Colômbia, que são atendidos pelas unidades brasileiras – uma fábrica em São Paulo e outra prestes a ser inaugurada no Rio, únicas da Alstom Transport na América Latina.