Greenpeace faz campanha mundial contra JBS-Friboi, revela semanário goiano

Essa é nova: o Greenpeace lidera um boicote internacional contra a JBS-Friboi.

Entidade publicou relatório em que denuncia a multinacional por estar massacrando a Amazônia.

 

Veja o texto:

 

Politicamente incorreto

Greenpeace faz campanha mundial contra JBS-Friboi

A Organização Não-Go­ver­namental (ONG) de proteção am­biental Greenpeace vem liderando um boicote internacional contra a JBS-Friboi. A entidade publicou um relatório que recebeu o título de “JBS — Re­pro­vada: Como a maior em­presa de car­nes do planeta continua massacrando a Ama­zônia”. Os militantes ecologistas concluíram uma investigação, após 18 meses de trabalhos, resultando em um mapeamento que levantou dezenas de fazendas irregulares na Amazônia que fornecem gado aos matadouros da JBS. A carne do abate é vendida a empresas estrangeiras de processamento que, por sua vez, condenam o desmatamento da maior floresta tropical do mundo.

O JBS é o maior frigorífico em operação na região da Ama­zô­nia Legal, com 30 unidades de a­bate. O relatório foi feito com base em observações de seus próprios investigadores e em relatos do Ibama. Em comunicado, a ONG informa que, “ao analisar as práticas de negócios da JBS, o Greenpeace encontrou, mais uma vez, inúmeros novos casos de fornecedores da empresa, direta ou indiretamente, envolvidos na devastação ilegal da floresta, na invasão de áreas protegidas, de terras indígenas e também agricultores que usam trabalho escravo.”

O balanço do Greenpeace foi divulgado duas semanas antes da Conferência das Na­ções Unidas sobre Desen­vol­vimento Sus­ten­tável Rio +20 e colocou o go­ver­­no brasileiro em xeque por cau­sa do BNDES, que é sócio do JBS-Friboi. Grandes compradores internacionais como Nike, Wal Mart e Car­refour já disseram que vão cortar laços com quaisquer fornecedores que não tenham a sua cadeia de produção limpa.

Oito grandes clientes da JBS na Europa, como Adidas, Tesco, Clarks, Ikea, Princess, Sainsbury’s, Asda e o gigante de alimentos Sligro Food Group, já teriam informado à empresa que cancelaram ou não renovarão seus contratos porque são contra o desmatamento da Amazônia e só querem fazer parte de uma cadeia a qual tenham certeza que está livre da destruição.

A JBS nega todas as acusações e informa que buscará a Justiça. “As informações e o relatório mencionando a JBS são falsas, incorretas e levam a sociedade a fazer julgamentos errados”, disse a empresa em um comunicado à imprensa. “Por esta razão, a companhia tomará as medidas judiciais cabíveis contra o Gre­enpeace para obter o ressarcimento pelos danos de imagem.”