[Artigo] A vaca foi pro brejo… puxada por cavalo

Parece que o senhor Júnior Friboi acredita que dinheiro compra até amor sincero. Ele tem tudo o que o dinheiro pode comprar sem ter vertido uma gota sequer de suor do seu rosto. Nasceu em berço de ouro. Nunca disputou uma única eleição na vida, mas acha que pode eleger-se governador em 2014 porque, segundo se comenta, teria dinheiro para bancar, sozinho, a campanha majoritária do próximo ano.

"Sabemos das excelentes qualidades detergentes do dinheiro. Mas nem todo o dinheiro do mundo poderá limpar a imagem de Júnior Friboi depois do vergonhoso escândalo internacional"
“Sabemos das excelentes qualidades detergentes do dinheiro. Mas nem todo o dinheiro do mundo poderá limpar a imagem de Júnior Friboi depois do vergonhoso escândalo internacional”

Daí ter ele dito aos que lhe são próximos – conforme noticiam os colunistas – que pretende ter em sua chapa o prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, como vice, e o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende, como senador. A chapa revela uma estratégia inteligente, do ponto de vista meramente eleitoral. Ele deve supor que Gomide racha, em Anápolis, a votação de Marconi, que nunca deixou de ter, ali, no mínimo 78% dos votos; e, com a suposta superioridade eleitoral de íris em Goiânia, ele derrotaria Marconi com um pé nas costas.

Bem, o voto é vinculado apenas para governador e vice. Nada garante que quem votasse em Íris para senador também não iria votar em Marconi para governador. Mas isso é mero detalhe.

Políticos experientes sabem que os medalhões nunca gastam dinheiro do próprio bolso em campanhas eleitorais. Até hoje tem gente no PMDB que acredita, e lamenta tanto, que a última derrota eleitoral da legenda se deve a avareza de íris, que teria se recusado a gastar um milhãozinho a mais para animar a campanha. Teria perdido da mesma forma, se tivesse aplicado dois ou mais. Não é por aí.

Sabemos das excelentes qualidades detergentes do dinheiro. Mas nem todo o dinheiro do mundo poderá limpar a imagem de Júnior Friboi depois do vergonhoso escândalo internacional, em que a JBS, a empresa da família do Junior Friboi, da qual ele é um dos diretores, andou vendendo cavalo por vaca na Suíça.

Dou um resumo do que foi publicado na imprensa de todo o país.

A Nestlé revelou no último dia 18 que alguns produtos fornecidos pela JBS continha carne de cavalo, não carne de vaca. A JBS alega que comprara a carne na Alemanha e a repassou para a Nestlé.  A Nestlé, depois de fazer uma ampla investigação, descobriu que o grupo alemão H. J. Schypke forneceu a carne para a JBS Toledo N. V., que é subsidiária do grupo brasileiro na Europa. Sem ter feito controle técnico — afinal, a carne de cavalo não é tão parecida com a carne de gado —, a JBS dos irmãos Batista repassou a carne para a Nestlé. As explicações da JBS não convenceram a Nestlé. Em lugar de admitir o erro, sua omissão em  não investigar a origem da carne, a JBS limitou-se a declarar que fornece  “carne processada da mais alta qualidade, sem concessões”. A JBS Toledo está sediada na Bélgica.

cavalo
“Para o vulgo, é fácil concluir que, se a empresa do Júnior Friboi não respeita a freguesia, também o governador Júnior Friboi – supondo que venha um dia ser governador – também não respeitará o cidadão. A esperteza dessa gente consiste em achar que todos somos otários”.

Qualquer açougueiro de arrabalde sabe diferenciar, a um simples olhar, a diferença entre as partes de um animal. Confesso que os admiro por isso, pois nunca conseguir distinguir uma picanha de um coxão duro. É implausível que o pessoal da JBS da Bélgica, que comprava a carne de um fornecedor alemão, não tivesse percebido o logro. Pior foi a atitude do grupo, que apresentou desculpas esfarrapadas ao invés de pedir desculpas. Deveria anunciar que vai devolver o dinheiro à Nestlé e indenizá-la por eventuais danos.

Para o vulgo, é fácil concluir que, se a empresa do Júnior Friboi não respeita a freguesia, também o governador Júnior Friboi – supondo que venha um dia ser governador – também não respeitará o cidadão. A esperteza dessa gente consiste em achar que todos somos otários.

Este escândalo fere de morte as pretensões eleitorais do senhor Júnior Friboi. É prato cheio para os marqueteiros adversários. O homem que vende gato por lebre; melhor dizendo: cavalo por vaca. Ainda que o fato fosse mentiroso, para Júnior Friboi não seria nada fácil livrar da pecha de vendedor infiel. Ocorre que o fato é verdadeiro e admitido pela própria direção da empresa brasileira.

Pergunto-me se, a essas alturas, Antônio Gomide e Íris Rezende ainda querem aliança com Júnior Friboi, se é que algum dia cogitaram em aliar-se com ele nos termos por ele propostos. Quem conhece minimamente o PT e o PMDB sabem que dificilmente aceitariam um arranjo desses, por mais dinheiro que trouxessem para a campanha. Não que eles não gostem de dinheiro. É que acreditam que podem vencer a eleição sem precisar se submeter ao dono do JBS. Aceitariam uma aliança com ele desde que rebaixasse suas pretensões.

Não quero aproveitar a desdita de ninguém para ser sarcástico, por isso vou me expressar em inglês: It seems to me that the Friboi´s cow went to swamp… dragged down by horse!