Em crise, Assembleia deixa de realizar pequeno expediente. Deputados fogem da tribuna

Em crise por conta de sucessivas denúncias de supersalários e falta de transparência, a Assembleia de Goiás vive um dos piores momentos de sua história.

Nesta quinta-feira, por exemplo, não houve pequeno expediente, o período da sessão usado pelos parlamentares para pronunciamentos de até cinco minutos sem aparte.

O chamado pinga-fogo é um dos momentos altos do parlamento, mas deixou de ser usado porque os deputados estão fugindo da tribuna.

Na sessão desta quinta-feira, o presidente Helder Valin (PSDB), pela ordem, convocou dois deputados inscritos para o pequeno expediente: Frederico Nascimento (PSD) e Mauro Rubem (PT).

Como ambos não estavam presentes, o tucano passou para a apreciação dos projetos.