O Popular erra feio e infla em 10 vezes custo do Governo Itinerante

Uma derrapada feia de O Popular nesta sexta-feira: na matéria sobre o Governo Itinerante, a repórter Márcia Abreu destaca que cada edição do programa irá custar R$ 5,2 milhões.

Dançou.

Logo no início da reportagem, o erro: “A primeira edição do projeto, que terá 12 edições ao custo de 5,2 milhões cada entre gastos com estrutura, pessoal, decoração e transporte, teve início ontem no Setor Morada do Sol e segue até domingo”.

Vejam bem: “…ao custo de 5,2 milhões cada…”.

Faltou atenção para a repórter. O custo de R$ 5,2 milhões é total, para todas as edições inicialmente previstas para o Governo Itinerante. Cada uma ficará em torno de R$ 400 mil.

O pior é que a diagramação da matéria privilegia a informação, ao colocá-la em um grande destaque, cercado na cor vermelha, para chamar a atenção ainda mais.

O Popular não tem o costume de reconhecer a veiculação de informações que não condizem com a realidade.

Grandes jornais brasileiros, como a Folha de S. Paulo, chegam até a ter uma coluna fixa – “Erramos”, no caso da Folha – para fazer as correções necessárias e não prejudicar nem os leitores nem os envolvidos nos fatos eventualmente distorcidos.