Friboi no PMDB… Só falta combinar com Iris, diz jornal Tribuna do Planalto

Assinada pelo jornalista Filemon Pereira, da cozinha de dona Iris Araújo, a principal reportagem desta semana do semanário Tribuna do Planalto é um claro recado de Iris Rezende ao empresário e magnata da carne Júnior Friboi.

Não há dúvida de que a matéria foi escrita por encomenda dos iristas e praticamente ditada da espaçosa cobertura de um edifício da Rua 1, no setor Oeste.

O título diz tudo “Friboi no PMDB.. Só falta combinar com Iris”.

Precisa dizer mais alguma coisa?

 

Só falta combinar com Iris…

Empresário acerta filiação com cúpula nacional, cultiva apoio de parlamentares em Goiás, mas esbarra no ex-prefeito


Filemon Pereira -Diretor de Redação

 

O empresário José Batista Júnior, o Júnior do Friboi, acertou sua filiação no PMDB com a expectativa de ser candidato ao governo do Estado em 2014. O empresário, atualmente filiado ao PSB, definiu a mudança de partido com a cúpula nacional peemedebista, mas fez uma movimentação em Goiás para parecer que estava agindo em consonância com os membros goiano da legenda.
Júnior do Friboi estava em viagem internacional e voltou a Goiás no final de semana anterior. Acertou, a pedido dele, uma visita ao diretório regional do PMDB durante a semana. Fez parecer, porém, que a visita ocorreu a pedido do partido. A reunião com os membros do diretório, na terça-feira, 16, serviu para comunicar aos peemedebistas que a filiação estava definida e a data marcada para 15 de maio.
Na reunião, Friboi foi muito cobrado para adotar um posicionamento firme de oposição, já que em anos anteriores o empresário chegou a ter muita proximidade com o atual governador Marconi Perillo (PSDB), virtual candidato à reeleição e adversário histórico do partido. Em 2010, Júnior do Friboi chegou a acertar com o tucano uma candidatura a vice-governador, que depois não se viabilizou. Na época, ele estava filiado no PTB.
Paralelamente à reunião de Júnior do Friboi com os membros do diretório estadual, atualmente formado por toda a bancada de deputados, o vice-presidente da República, Michel Temer, recebeu em almoço no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice, o ex-prefeito Iris Rezende e a deputada federal Iris de Araújo. O presidente nacional do partido, senador Valdir Raupp, e o ex-ministro Eunício Oliveira também participaram da conversa.
O encontro serviu para que Temer sondasse o casal Iris sobre a filiação de Júnior do Friboi no partido e o projeto eleitoral de 2014 em Goiás. Ouviu que o caminho está livre para a filiação e o trabalho, mas também que o empresário não terá garantias de uma candidatura majoritária no ano que vem. Entre uma amenidade e outra, histórias do passado peemedebista, uma conclusão: Em Goiás, o ‘dono’ dos votos do PMDB é Iris Rezende. Qualquer definição tem de passar por ele.
Um dia depois, sem a presença de Iris Rezende e Iris de Araújo, o vice-presidente Mi­chel Temer recebeu o empresário Júnior do Friboi em Brasília e a conversa foi diferente. O empresário estava escoltado pelos deputados federais Pedro Chaves e Leandro Vilela, grandes entusiastas da filiação do empresário no PMDB.
De acordo com a própria assessoria do vice-presidente, Michel Temer garantiu que conseguirá uma agenda para Friboi encontrar-se com a presidente Dilma Rousseff (PT) e que respaldará projeto político do empresário de disputar o governo de Goiás, assegurando também um forte palanque no Estado para a presidente, que é candidata à reeleição.
A articulação pró-Friboi mostrou-se consistente. De um lado, um grande número de deputados e prefeitos entusiasmados com a possibilidade de uma candidatura majoritária do empresário contra o governador Marconi, que tem ao seu lado a máquina estadual. Além de viabilizar o projeto pessoal, Júnior do Friboi também ajudaria a estruturar a reeleição desses parlamentares e fomentar outras candidaturas no PMDB e nos demais partidos de oposição.
Já os prefeitos, como Eroni­ldo Valadares, de Poran­gatu, resolveriam um problema. Receberam apoio financeiro de Friboi em 2012, mas estavam amarrados quanto a apoiá-lo no PSB, numa disputa em que o PMDB não estivesse presente. Se for candidato pelo partido, a dificuldade deixa de existir. Eronildo, inclusive, começa a montar uma lista com assinaturas de prefeitos em apoio a Friboi no PMDB.
Apesar do aval nacional e do esforço para conquistar os peemedebistas goianos, Júnior do Friboi não submeteu previamente sua filiação e seu projeto a Iris Rezende, líder máximo do partido em Goiás, tentando costurá-la com certa distância do ex-prefeito. A estratégia de avançar sobre o PMDB sem respaldo de Iris já causou reação.
O mesmo Iris, que afirmou que o partido está aberto, avisou que a cúpula nacional não decide a vida do PMDB em Goiás. Em entrevista ao jornal O Popular, o ex-prefeito lembrou como exemplo a tentativa frustrada de candidatura ao governo do ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, em 2010. Na época, Meirelles se apresentou como pré-candidato ao governo, mas acabou rifado.

Discurso
Na reunião no diretório regional do PMDB, Júnior do Friboi afirmou que sua ida para o partido não é uma imposição e fez questão de ressaltar a importância de Iris Rezende. “Venho para construir. Não estou aqui impondo absolutamente nada”. Também destacou que sua filiação fortalece o projeto de alternância de poder em Goiás. “Eu tenho convicção que a minha vinda mexe com o quadro político no Estado”, ressalta.
Júnior do Friboi garantiu que tem conversado com o ex-prefeito Iris Rezende sobre o quadro eleitoral em Goiás e confirma que o peemedebista abriu as portas do partido para ele. “O Iris tem dito que o PMDB está de braços abertos”, afirma. As declarações de Friboi, porém, ocorreram antes de sua visita ao vice-presidente Michel Temer, que evidenciou a articulação nacional empreendida pelo empresário sem aval de Iris.
Sobre Iris Rezende, o empresário disse ainda que avalia ser importante a participação de Iris na chapa majoritária em 2014. “Tenho dito para ele que ele não pode esquecer que ele tem de participar efetivamente desse grande projeto na chapa majoritária para 2014”, explica Friboi.
Nos bastidores, aliados do empresário afirmam que o objetivo de Júnior do Friboi é convencer Iris a disputar mandato de senador no próximo ano. Assim, Iris daria peso político a chapa, alavancando a candidatura de Júnior do Friboi ao governo. A articulação também teria o aval da direção nacional do PMDB, que chegou a sondar Iris sobre uma candidatura ao Senado durante o almoço na residência do vice-presidente.