Mentira dos grampos: site A Redação diz que Ministério Público só recebeu um pendrive e mais nada

O site A Redação, do jornalista João Unes, informa nesta noite de sexta-feira, que não existe investigação no Ministério Público Federal sobre um suposto esquema de grampos, anunciado com estardalhaço em matéria de capa da revista Carta Capital – conhecida pelos malfeitos jornalísticos em defesa do PT e do ex-presidente Lula.

Para a Carta Capital, por exemplo, o mensalão nunca existiu e não passa de uma tramóia das elites brasileiras para deter o desenvolvimento do Brasil.

 

Veja a matéria do site A Redação:

 

MPF nega investigação sobre suposta ‘central de grampos’

A Redação

Goiânia – O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) negou que esteja investigando uma suposta central de grampos que estaria à serviço do governador Marconi Perillo, como aponta matéria publicada na última edição da revista Carta Capital, que tem circulação nacional.

O MPF informa, por meio de nota, que recebeu informações sobre uma possível contratação de espionagem política, porém não foram apresentadas provas de que esse serviço tenha sido, efetivamente, executado.

Em nota enviada à imprensa nesta sexta-feira (26/4), o órgão público, por meio do Núcleo de Combate à Corrupção, explica que recebeu um pendrive e ouviu o depoimento de Gercyley Batista de Sousa sobre uma possível prática de peculato, que envolveria o governador de Goiás.

Em depoimento, Gercyley disse que o material gravado no pendrive teria sido repassado pelo perfil no Twitter @Mrmagoo13, que é citado na reportagem da revista como um hacker que realizaria os “grampos” a pedido do governador.

O material foi então encaminhado para a Procuradoria-Geral da República (PGR), via Sedex, porque como Perillo tem foro privilegiado, a investigação só pode ser aberta neste órgão.