Há 72 anos, morria o célebre escritor irlândes James Joyce

A literatura moderna perdia, há exatos 72 anos, um de seus maiores expoentes: o escritor irlandês James Joyce, autor de obras famosas como Finnegans Wake e Ulisses. Sua linguagem própria fez dele um escritor complexo, inimitável, pouco acessível e até difícil de ser traduzido para outras línguas. Finnegans Wake, por exemplo, não tem e nunca terá uma tradução razoavelmente fiel para o português.

O principal atributo de James Joyce é o caráter revolucionário que apresenta. Das obras ambiciosas dele, Ulisses é a que, por incrível que pareça, é mais acessível. As obras anteriores eram de formação e aí chegou essa obra de maturidade, onde é possível acompanhar uma trama e se aproximar um pouco mais dessa peculiaridade enorme do Joyce. É difícil manter essa proximidade quando se chega em Finnegans Wake.

Apesar de hoje ser o aniversário de morte do escritor, é no dia 16 de junho que o mundo rende todas as homenagens ao irlandês. É o chamado “Bloomsday”, celebrado na data em que o enredo de Ulisses se passa.