Rádio 730, a que faz as críticas mais ácidas ao Governo Marconi, diz que “central de grampos” é fantasia

Ultimamente conhecida pelas críticas pesadas que dirige ao Governo Marconi, a Rádio 730 volta sua artilharia para a revista Carta Capital e diz que ela se baseou em um “dossiê apócrifo” para publicar a matéria sobre uma suposta central de grampos em Goiás.

“O problema da reportagem é a falta de provas, principalmente que liguem Marconi às acusações. O texto e as ilustrações sequer apontam o envolvimento direto do governador. O enredo se resume a um suposto hacker que teria sido contratado por um casal de jornalistas para quebrar senhas e sigilos de aliados e adversários. O caso estaria sendo investigado pelo procurador da República Hélio Telho. Horas após a edição surgir na internet, o mesmo procurador e o próprio Ministério Público Federal trataram de desmentir a revista”, aponta editorial da 730, lido várias vezes no ar e reproduzido no portal da emissora na internet.

O responsável pelo jornalismo da Rádio 730 é o jornalista Nilson Gomes, cuja fértil imaginação literária provavelmente produziu a seguinte conclusão para o editorial: “A rádio e o portal classificam a tal ‘central de grampos’ com os adjetivos que ela merece: é apenas mais uma briguinha inócua do aterro sanitário da internet”.