Simeyzon e Vanderlan apostam em projeto solo e no racha das oposições para 2014

irispaulogarcia
Iris e Paulo Garcia defendem a tese da oposição unida, mas não admitem discutir apoio a candidato fora do eixo PT-PMDB

O deputado estadual Simeyzon Silveira (PSC) disse hoje à coluna Giro, publicada no jornal O Popular, que dificilmente o seu grupo político – capitaneado pelo ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso (sem partido) – caminhará ao lado de PT e PMDB nas eleições de 2014. A dupla aposta em projeto solo para chegar ao Palácio das Esmeraldas e divide a oposição.

“Há dificuldades de estamos juntos com PMDB e PT”, afirmou Simeyzon, que em 2012 disputou a prefeitura de Goiânia e pautou sua campanha por severas críticas à administração do prefeito Paulo Garcia (PT), candidato à reeleição com o apoio do principal líder do PMDB, Iris Rezende.

As declarações de Simeyzon em favor do projeto solo vêm a público um dia depois de Vanderlan reforçar críticas ao estilo de Iris, que chamou de “centralizador”. Em entrevista ao Jornal Opção, o ex-prefeito garantiu que a oposição não vai se unir em torno de uma provável candidatura do cacique peemedebista ao Palácio das Esmeraldas em 2014.

A tese da oposição unida tem Iris e Paulo como principais entusiastas. No entanto, ao mesmo tempo em que defendem a união, ambos não admitem cogitar apoio a um candidato que não esteja filiado ao PMDB ou ao PT. Coincidência ou não, os dois são os nomes mais lembrados para liderar o bloco na disputa.

Além de Simeyzon e Vanderlan, o grupo que pretende se viabilizar como terceira via conta também com o ex-secretário da Fazenda do governo Alcides Rodrigues (PP), Jorcelino Braga (PRP), e com o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM). Esse grupo flerta também com o empresário Júnior Friboi (PSB). Vanderlan avisou que se filiará ao PSC em março.