Vereador é suspeito de trocar propina por licença e de comprar carteira da OAB

O vereador Wellington Peixoto (PSB) – conduzido à força ao Ministério Público no último dia 15 para prestar esclarecimentos sobre negociação de propina em troca de licença ambiental – está envolvido em mais uma denúncia. Desta vez, ele é suspeito de comprar carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O procurador Hélio Telho informa que estava marcado para ontem o depoimento de Wellington, irmão do deputado estadual Bruno Peixoto (PMDB), na 3º Vara do Ministério Público Federal do Estado de Goiás (MPF). Além dele, outros 31 advogados respondem pela mesma suspeita.

O CASO
Em 2006, a OAB abriu processo ético contra o vereador com a Polícia Federal (PF). Nas investigações, foi apresentada uma lista de 32 nomes, entre eles o de Wellington. Apenas no dia 1º de março do ano passado, as averiguações da PF foram finalizadas com a apresentação de denúncia à justiça, em especial ao MPF e à OAB.