Vassil quer ensinar jornalistas do governo a fazer o que ele não fez como chefe da comunicação de Braga e Alcides

Em mais um interminável e confuso artigo no Diário de Goiás (uma verdadeira bíblia), o jornalista Vassil Oliveira exercita o que tem sido seu objetivo de vida nos últimos dois anos: atacar o governo Marconi Perillo e a turma a quem ele atribui todas as “maldades” da comunicação dos tucanos.

Uma incurável dor de cotovelo move o jornalista, que foi todopoderoso como assessor de Imprensa do governador Alcides Rodrigues e exerceu suas funções com mão de ferro. O Diário da Manhã que o diga.

A propósito, a brandura que ele insiste em tentar ensinar aos colegas que hoje trabalham no governo ele não fez durante sua curta e apagada passagem pelo setor na gestão alcidista. Que ficou famosa em todo o Brasil pela tentativa de censura que legou o jornalista Paulo Beringhs a pedir demissão ao vivo.

E Vassil não falou nem fala nada a respeito.

No mesmo governo, tiraram do ar o programa de Túlio Isac, porque ele anunciou apoio a Marconi.

E tem também a censura instalada nos veículos de comunicação da Agecom, televisão e rádio Brasil Central.

Além da perseguição e sufocamento financeiro ao Diário da Manhã, que não aceitou as imposições de Vassil e companhia em relação ao seu noticiário político.

Em resumo: Vassil fez a comunicação de um governo que é considerado o pior da história de Goiás e ainda quer dar lição de como fazer comunicação…

Ajuda aí, né?