Trabalhador goiano, veja essa: deputado Gedda defende mordomia de 14º e 15º salários

Trabalhador goiano, fique atento nessa: o deputado estadual Francisco Gedda (PTN) tem posição formada sobre o corte no pagamento do 14º e 15 º salário aos deputados, aprovado pelo Câmara dos Deputados e que será adotado também na Assembleia Legislativa: “Ela (a “ajuda de custo”) é necessária para o trabalho parlamentar e muito mais como instrumento de ajuda à população.”

O deputado tenta explicar melhor sua opinião, mas a emenda sai pior que o soneto. “Como advogado, diante deste tipo de comparação, sou contra o pagamento do salário extra, afinal todos os trabalhadores não tem este tipo de benefício, mas como parlamentar sou a favor da ajuda de custo”, argumentou Gedda.

“O trabalho do deputado não se limita ao plenário ou à utilização da tribuna. Todos os dias, recebemos centenas de pedidos de diversos segmentos da sociedade, especialmente ligados à saúde, transporte e passagens. Essa ajuda de custo é usada mais para atender a própria população.”

Gedda reconhece que a tendência é que a Assembleia Legislativa tome a mesma decisão da Câmara dos Deputados, mas ele lembra – claramente aliviado – que a limitação no pagamento de salários extras diz respeito apenas aos pagamentos que eram pago no início e no final de cada ano do mandato. “Fica preservada a ajuda de custo que é paga no início e no fim de cada legislatura”, afirma.