Semanário afirma que oposição derrota a própria oposição na Assembleia de Goiás

O passeio que a bancada de situação deu na oposição no episódio da CPI dos Grampos ainda rende.

O jornal Tribuna do Planalto diz que a oposição derrota a própria oposição na Assembleia.

E acusa os peemedebistas Bruno Peixoto e Paulo Cezar Martins de articularem para sepultar a CPI.

 

Veja a matéria:

 

AL: oposição derrota a própria oposição

Peemedebistas Paulo Cezar Martins e Bruno Peixoto articulam para sepultar pedido de CPI da oposição, contrariando demais oposicionistas

Eduardo Sartorato – Editor de Política

Depois de colecionar derrotas para a base aliada do governador Ma­r­coni Perillo (PSDB) na Assembleia Legislativa em 2013, o bloco da oposição foi mais uma vez surpreendido. Seus deputados prepararam um documento para pedir a abertura da CPI dos Gra­mpos, mas, na hora da apresentação, na terça, 7, foram superados por um outro documento, que também propôs a comissão, mas nos moldes governistas. O interessante de toda articulação foi a ação de dois deputados do próprio grupo da oposição, que foi de fundamental importância para o triunfo da base governista.

Depois de uma semana inteira sem sessão ordinária – devido ao feriado do dia 1o de maio e o boicote da situação na sessão da terça, 30 -, a oposição já estava com o requerimento da CPI pronto para ser apresentado. O encargo ficou por conta do deputado Paulo Cezar Mar­tins (PMDB), que há alguns meses retirou a sua assinatura do pedido de instalação de outra CPI e, juntamente com o deputado Simeyzon Silveira (PSC), instalou uma crise entre os deputados da oposição.

Paulo Cezar, porém, chegou atrasado e entregou o pedido após o deputado Marcos Martins (PSDB) já ter apresentado um outro requerimento, pedindo a abertura da CPI. Como o governista pediu primeiro, e os dois documentos pedem uma CPI de mesmo tema, vale o primeiro documento apresentado, ou seja, o de Martins.
Há também diferenças no teor da investigação dos dois documentos. Enquanto o documento da oposição quer investigar a participação do governo no suposto escândalo dos grampos, denunciado pela revista Carta Capital há algumas semanas, o governista objetiva a defesa das pessoas ligadas ao governo e citadas na matéria. “Vamos trabalhar para apurar os fatos e mostrar que, se alguém foi grampeado, não foi por parte dessas pessoas que estão dizendo”, disse Martins, logo após apresentar o documento.

Nos bastidores, alguns oposicionistas denunciaram uma articulação de Paulo Cezar e do deputado Bruno Peixoto (PMDB) para frear a CPI da oposição. Ou seja, mais um esforço de ação efetiva dos parlamentares da oposição para desgastar o governo naufragou por ação dos próprios oposicionistas. Cada vez mais, a oposição mostra que é praticamente impossível que os 16 deputados do bloco remem na mesma direção.