Resultado ruim na Serpes faz crescer pressão de caiadistas sobre Wilder

O senador Wilder Morais (DEM) tem uma semana difícil pela frente. Depois de aparecer com 1,1% na pesquisa Serpes/O Popular para o Senado, ele vê crescer o sentimento de desconfiança de aliados de Ronaldo Caiado (DEM) com a sua candidatura à reeleição.

Existe um grupo de políticos que orbitam ao redor do DEM que contestam a presença de Wilder na chapa majoritária com argumentos radicais, sempre sustentados pelo desempenho dele nas pesquisas. Outros mais ponderados sugerem que Wilder seja deslocado para vice, o que permitiria a desempenhar um papel meramente protocolar na campanha, sempre à sombra de Caiado. 

Este grupo que defende Wilder na vice diz que as duas vagas de candidato ao Senado da chapa devem ser ocupadas por políticos com potencial eleitoral. Na base do governo, por exemplo, serão preenchidas pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB) e pela senadora Lúcia Vânia (PSB). 

Ao alojar Wilder na vice, Caiado não precisaria abrir mão da fortuna que o magnata prometeu injetar na campanha. Tampouco teria de se privar dos passeios de avião e helicóptero que ficaram constantes nesses meses. Ao tempo, abriria duas vagas importantes na chapa para trazer partidos aliados. O senador do DEM sonha com o PP, do ministro Alexandre Baldy, e com o PSD de Vilmar Rocha.

Compartilhe