Para tucano, Friboi quer o poder pelo poder e não tem propostas para Goiás

O presidente do PSDB de Goiás, Paulo de Jesus, rebate críticas de Júnior Friboi ao governo do Estado. Ele diz que Friboi está começando mal na política e que suas críticas são desastrosas.

“É interessante como as pessoas mudam suas ideologias de acordo com os interesses”, critica “É o poder pelo poder, pela satisfação pessoal e pela vaidade”.

Segundo Paulo de Jesus, Friboi ainda não apresentou projeto para Goiás.

Veja a matéria do Jornal Opção:

 

Para presidente do PSDB, críticas de Friboi ao governo estadual são “desastrosas”

Paulo de Jesus pontuou que o neopeemedebista “está começando mal na política”
Jornal Opção

Mônica Carvalho

O presidente do diretório regional do PSDB, Paulo de Jesus, rebateu as críticas tecidas por José Batista Júnior, o Júnior do Friboi, ao governo do Estado. O neopeemedebista atacou veementemente o governador Marconi Perillo (PSDB) destacando que “Goiás quer dar um basta no jogo do bicho, grampo telefônico e enriquecimento”.

Ao Opção Online, Paulo de Jesus pontuou que Júnior do Friboi apoiou Marconi Perillo desde 1998 e agora, que pretende se candidatar ao cargo, mudou de lado e de opinião. “É interessante como as pessoas mudam suas ideologias de acordo com os interesses”, ironizou. “É o poder pelo poder, pela satisfação pessoal e pela vaidade”, complementou.

O tucano destacou que até o momento Friboi não apresentou nenhum projeto para o desenvolvimento de Goiás e se atém a somente criticar. “Ele está começando mal na política. Isso é tremendamente desastroso. Para ser governador primeiramente o candidato deve ter credibilidade, respaldo, vivência política”.

Paulo frisou que até o momento Júnior do Friboi não se manifestou sobre a reforma do ICMS proposta pelo governo federal. “Se ele gostasse de Goiás estaria neste momento em Brasília participando do manifesto contra a reforma do ICMS”.

Paulo de Jesus acrescentou que entende que a vontade de ser candidato ao governo do Estado, até o momento, parte de Júnior do Friboi e não do partido. “Ele está procurando respaldo em quem o tem. Iris [Rezende] é liderança do PMDB”, disse.

O tucano também criticou a suposta tentativa de Friboi em doar R$ 200 mil para que o PMDB realizasse sua festa de filiação – o que foi vetado pelo o jurídico da legenda. “Será que é assim que se consegue apoio? Apoio não se compra, se conquista”.