José Eliton detona: “Vanderlan e seu grupo são figuras velhas da política de Goiás”

Sempre ponderado e com argumentação de alto nível, o vice-governador José Eliton foi ao ataque a Vanderlan Cardoso e seu grupo de aliados, em entrevista ao Diário da Manhã.

Para José Eliton, “eles são figuras velhas da política de Goiás”, embora queiram se passar como novas.

Ele diz ainda que o pré-candidato a governador pelo PSB não conhece a realidade de Goiás porque está envolvido com seus negócios em outro Estado, no caso o Pernambuco.

Veja a entrevista na íntegra:

“Vanderlan e seu grupo são são figuras velhas da política de Goiás”

Vice-governador afirma que Vanderlan não conhece realidade de Goiás
DIÁRIO DA MANHÃ
HELTON LENINE
O vice-governador José Eliton é de opinião que o ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso, ao invés de colocar-se como “o novo ou o diferente”, deveria apresentar projetos e programas realmente que possam trazer “luz” ao debate político em Goiás, o que, segundo ele, não acontece. “Em seu grupo, existem figuras políticas velhas, que já estão no cenário político de Goiás há anos – não havendo nada de novo, nada de diferencial.”

Em entrevista ao DM, o vice-governador rebate as críticas do ex-prefeito ao governo Marconi. “Ao contrário do que diz Vanderlan Cardoso, o que há de mais moderno e inovador em Goiás foi implementado pelo governador Marconi Perillo pela sua inteligência, ousadia. Os programas sociais inovadores foram copiados país afora, como o Renda Cidadã e Bolsa Universitária. O que não faltam na gestão de Marconi são programas modernos e inovadores.” Para o vice-governador, Vanderlan não conhece a realidade de Goiás. “Ele talvez anda sem tempo para percorrer o interior e acompanhar as transformações que ocorrem em nosso Estado, que tem o PIB maior que a média nacional.”

Entrevista completa
DM – O ex-prefeito Vanderlan Cardoso disse ontem em entrevista ao DM que seu grupo político fará o diferencial na eleição de 2014, que proporá “algo novo e diferenciado plenamente” com uma frente “distinta de tudo que foi colocado até hoje”. Como o sr. avalia esse diferencial e essa frente?

José Eliton – Todos os partidos e lideranças políticas têm o direito legítimo e democrático de debater e disputar as eleições. O governador Marconi Perillo, eu e a nossa base respeitamos esse direito. Agora, o que se espera desses partidos e lideranças políticas é que digam com clareza qual será seu diferencial, quais são suas ideias, suas propostas, não apenas ficar tergiversando com frases feitas, sem conteúdo e completamente dissociadas da realidade.Veja, o ex-prefeitoVanderlan Cardoso disse nessa entrevista que esse grupo político representa novas práticas e é formado por lideranças que estão fora do poder e que querem romper com um poder de Estado exercido por lideranças que, segundo ele, se eternizaram no poder. É no mínimo estranho tal afirmação, ou menosprezo à inteligência dos goianos, afinal de contas o ex-governador Alcides Rodrigues, que ele diz pertencer ao seu grupo, foi prefeito de Santa Helena, deputado estadual, vice-governador por duas vezes e governador de Goiás no mandato passado, encerrado há pouco mais de dois anos. O presidente do Democratas, dr. Ronaldo Caiado, é deputado federal desde 1991, portanto há 22 anos, e sua família faz parte da história política de Goiás. O casal George Morais foi prefeito de Santa Bárbara, deputado estadual e prefeito de Trindade, sua esposa Flávia Morais foi deputada estadual e secretária de Estado e hoje é deputada federal. O próprio Vanderlan Cardoso foi prefeito de Senador Canedo por dois mandatos. Portanto, são figuras políticas velhas, que já estão no cenário político de Goiás há anos – não havendo nada de novo, nada de diferencial.

DM – Vanderlan Cardoso critica a administração estadual, diz que Goiás estava muito bem em 2010, e afirma que o Estado precisa voltar a crescer…

José Eliton – O ex-prefeito deve viver em outro mundo, os números falam por si. O governo Alcides Rodrigues, que findou em 2010, deixou o Estado com duas folhas de pagamento e o 13º salário dos servidores em atraso, os professores não recebiam o piso nacional da educação, a data base não era respeitada para os servidores. O Ipasgo com uma dívida de R$ 400.000.000,00 (quatrocentos milhões de reais), a Iquego paralisada, a Celg em crise financeira sem precedentes, as estradas goianas deterioradas, em 2010 o Estado não cumpriu as metas de ajuste fiscal, realidade que foi resultado da completa incompetência da gestão passada. O governo passado desmontou o Estado, acabou com os programas sociais, não investiu na Saúde, foi irresponsável com a Educação. O governo do qual ele foi partícipe e artífice passou em branco pela história. Agora vem querendo falar em novo, o novo que ele defende é o retorno desse grupo? Goiás não merece isso.

DM – E em relação à atual situação do Estado, como vê as críticas dele à atual

administração, afirmando, vou repetir, que Goiás precisa voltar a crescer?

José Eliton – O ex-prefeito deve estar vivendo muito em Pernambuco, mesmo porque suas principais atividades empresariais estão localizadas no Nordeste do País e não aqui em Goiás, e, talvez em função disso, desconheça completamente a realidade de Goiás, ele precisa se inteirar mais acerca dos números da economia goiana. Na economia, ao contrário do que o ex-prefeito afirma, estamos crescendo acima da média nacional, gerando empregos proporcionalmente mais que o restante do País. Nossas exportações cresceram mais de 25%, segundo as últimas pesquisas, graças à agressiva política de ampliação de nossas parcerias comerciais. O campo continua batendo todos os recordes de produção e produtividade. São avanços em todas as áreas. São avanços incontestáveis, e neste ano de 2013 já estamos transformando Goiás num verdadeiro canteiro de obras, da capital às comunidades mais distantes. Isso é progresso, o resultado da vontade do governo Marconi de que todos cresçam, todos prosperem. Nas demais áreas da gestão, o governo de Goiás avança significativamente. Na Educação, Goiás foi o Estado que teve o maior avanço na melhoria da qualidade do ensino, segundo o último Ideb. Somos hoje o 5º Estado do ranking do Ideb, ao lado dos Estados mais ricos. Na qualificação profissional, o Bolsa Futuro está qualificando mais de 100 mil alunos por ano, metade deles com o auxílio de um incentivo financeiro de R$ 75,00 por mês. Na infraestrutura, Goiás está investindo bilhões de reais em pavimentação, saneamento e energia. Na área social, o governador Marconi Perillo retomou e ampliou o Renda Cidadã, o Cheque Moradia e Reforma e a Bolsa Universitária. Saneamos a Celg e agora, com a Eletrobras, serão investidos mais de R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais) na melhoria e ampliação do sistema. No setor de serviços públicos, o Vapt-Vupt passou por um profundo choque de gestão, teve a maior ampliação de sua história. O governo Marconi Perillo, o nosso governo, valorizou os servidores de todas as áreas, com respeito à data base, com pagamento do piso aos professores, com o saneamento do Ipasgo. Nas polícias, nossos servidores estão entre os mais bem remunerados do Brasil. Um PM em início de carreira ganhava R$ 400,00 quando Marconi assumiu, em 1999, atualmente, um soldado da PM começa recebendo mais de R$ 2.700,00 após aprovação no curso de formação de praças e promoção à graduação de soldado de 1ª classe. A saúde melhorou, com a participação das OS’s na gestão hospitalar, enfim, Goiás hoje colhe frutos de um esforço muito grande do governador Marconi e de toda equipe para superar o caos administrativo e financeiro em que encontramos o Estado em janeiro de 2011.

DM – O senhor considera essa aliança entre DEM e PSB competitiva?

José Eliton – Não me cabe fazer essa avaliação, são partidos de base ideológica distinta, todavia essa aliança, se persistir até a eleição, será avaliada pela população.