De mentalidade pré-internet, O Popular só sai com matérias vencidas, avalia Euler Belém

Observador atilado do mundo da imprensa, o jornalista Euler Belém arrasa com o jornal O Popular em nota no Jornal Opção.

É a crise da mídia impressa, em todo o mundo, diante do avanço da comunicação acelerada via internet, atingindo em cheio o veículo goiano de 75 anos de idade.

Euler afirma justamente que o jornal – pelos seus proprietários e editores – tem mentalidade pré-internet.

A cada dia, segundo o analista, O Popular já “nasce” velho, com “capas diárias exibindo notícias que foram esmiuçadas pela internet no dia anterior e não são mais novidade”.

Leia a avaliação de Euler Belém sobre O Popular:

 

Mentalidade jornalística de O Popular é pré-internet

Proprietários e editores do POP, apesar de participarem de congressos no Brasil e no exterior, não estão percebendo como suas capas diárias exibem um jornal que “nasce” velho.

Com a internet e os canais de notícias das redes de televisão, as notícias são massificadas de tal forma que, no dia seguinte, se as vemos nos jornais, como POP e Diário da Manhã, ficamos com a impressão de que o papel não serve nem mesmo para embrulhar carne em açougues periféricos.

Na edição de segunda-feira, 13, possivelmente para aproveitar uma fotografia chamativa, que mostra dois jogadores, um do Atlético e outro do Goiás, o “Pop” destaca o resultado do primeiro jogo da decisão do Campeonato Goiano de Futebol. A capa também destaca o 3º lugar de Felipe Massa na Fórmula 1, a vitória do Corinthians sobre o Santos e a derrota do Cruzeiro para o Atlético Mineiro. As quatro notícias, divulgadas intensamente no domingo, 12, não tinha mais tanto interesse na segunda-feira.

Se é assim, por que o POP repete o modelo equivocado to­dos os dias? Porque a mentalidade do jornal é pré-internet.