Caiado não pode deixar que o ódio e o sentimento de vingança atrapalhem a gestão que se inicia 

O senador e governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) assume nesta terça-feira, 1, o Palácio das Esmeraldas com um imenso desafio pessoal: evitar que o ódio e o sentimento de vingança de Marconi Perillo levem embora a possibilidade de fazer uma gestão inovadora em Goiás.

Passada a campanha, Caiado tem o dever de queimar as vestes do incontido ressentimento que tem por Marconi. O governador eleito sempre viu no tucano a razão central, quase exclusiva, do adiamento de seu sonho de se tornar inquilino da Casa Verde. Uma percepção cômoda, que tem de ser superada.

Caiado tem o direito de fazer diferente, mas olhando para frente. Tem o dever de fazer melhor, mas para isso não precisar incendiar o que foi feito. É isso que difere políticos comuns dos estadistas. Os comuns pensam com o fígado. Os estadistas encarnam a compreensão histórica da sociedade que os elegeram.

Fica a dica.