Fogo amigo: presidente do DEM de Anápolis, Carlos Toledo é preterido do governo por Caiado

O presidente do diretório do DEM de Anápolis, o empresário Carlos César Toledo (Cacai), foi preterido pelo governador Ronaldo Caiado na composição da administração estadual. Cunhado do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Sebastião Tejota, que por sua vez é pai do vice-governador Lincoln Tejota, Cacai foi coordenador da campanha caiadista no município e esperava ser abrigado na gestão como recompensa pelos “serviços” prestados.

A indicação, no entanto, esbarrou em notícias sobre atitudes nada republicanas de Cacai no relacionamento com empresários anapolinos durante a campanha. Informado dos acontecimentos, Caiado chamou Cacai e pregou-lhe um baita esfrega, testemunhado pelo agora presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR), Eurípedes Barsanulfo, que também é anapolino. No encontro, o governador mostrou toda a sua fúria e avisou que o presidente do DEM estava terminantemente fora da administração.

Foi Cacai quem apresentou a família Tejota para Caiado e mediou a aproximação entre o então senador e o conselheiro Tejota que levaria à escolha de Lincoln para o disputado posto de vice-governador. Apesar das posições estratégicas no DEM e na campanha de 2018, Cacai não é figura bem vista entre os empresários de Anápolis, que se sentiram traídos. As manifestações de apoio não teriam chegado a Caiado. A reclamação sobre o estilo do presidente municipal do partido do governador é geral. Resta saber como Cacai reagirá à marginalização imposta como punição ao seu comportamento político.