Paulo Garcia se curva outra vez ao poder econômico e faz aprovar “lei Moreirinha”

Após discussão que se arrastou por pelo menos seis meses, a Câmara Municipal finalmente aprovou o projeto de lei do Executivo que desafeta áreas públicas municipais no setor Coimbra (rua 278 e outras) de suas destinações primitivas.

Chamado de “Lei Moreirinha” pelos vereadores da oposição, o projeto favorece o Hipermercado Moreira, que será o único beneficiário com a desafetação e vai tumultuar tremendamente o trânsito da região.

Apenas três vereadores de oposição resistiram ao rolo compressor de Célia Valadão (PMDB), Clécio Alves (PMDB) e cia. No plenário, Geovani disse que é mais uma matéria vinda do Executivo que tem como objetivo agradar empresários e o setor privado.

A prefeitura é reincidente nesses casos. Já quis vender até mesmo as áreas que circundam o Paço Municipal. O Ministério Público impediu a venda e o projeto foi trancado.

“Esse projeto não tem nenhum interesse público, visa apenas atender a um empresário, a uma empresa, no caso, o Moreirinha”, acusou Elias Vaz, ainda em dezembro do ano passado.

Djalma Araújo (PT) afirma que a proposta é contra a sustentabilidade de Goiânia. “Logo”, diz ele, “vai causar transtornos para os moradores daquela região”. Ao final, seu pedido de vistas ao projeto foi aprovado pela maioria dos vereadores, inclusive da base do prefeito.