Manifestantes depredam a sede da Prefeitura depois do aumento tarifa de ônibus. Calma… em Porto Alegre

Depois que o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT) autorizou o aumento das tarifas de ônibus de R$ 2,85 para R$ 3,05 – um reajuste bem menor que o autorizado em Goiânia – manifestantes enfurecidos foram até a sede da Prefeitura e depredaram o prédio, no mês de março último.

Partes da fachada do prédio histórico da Prefeitura ficaram destruídas. E o novo valor da passagem de ônibus, de R$ 3,05, foi pichado numa das colunas do prédio. Houve batalha campal entre os manifestantes e a polícia.

Em Porto Alegre, repetiu-se o que aconteceu em Goiânia: não houve transparência para a concessão do aumento, baseado em planilhas das empresas, que os portoalegrenses nunca viram.

 

LEIA MAIS:

TV Anhanguera abre campanha para reduzir preço da tarifa do transporte coletivo em Goiânia

Paulo Garcia, PMDB e PT tem maioria na CDTC e poderiam ter barrado aumento da passagem de ônibus

Tem coelho nesse mato: planilhas que justificaram o aumento da tarifa de ônibus são secretas

O silêncio de Mauro Rubem sobre o abusivo aumento da passagem é ensurdecedor

Jornalista Rogério Borges diz que tarifa mudou, mas o atropelo nos terminais é o mesmo

Aumento da tarifa de ônibus é baseada em caixa-preta, ou seja, em planilha de custos que ninguém viu

Após quatro horas, estudantes deixam Praça Cívica e marcham em bloco