Jornais, revistas e livros impressos já terão acabado até 2025. E também as TVs aberta e a cabo

O jornalista Ethevaldo Siqueira tem um blog, no portal do jornal O Estado de S. Paulo, onde vive discutindo assuntos de tecnologia e do futuro das comunicações no mundo.

Em uma série de artigos, ele reúne especialistas internacionais para lapidar algumas previsões que faz para os próximos anos – no máximo até 2025, todas em decorrência do impacto da internet no mundo moderno.

Os grandes conglomerados de mídia, com certeza, vão passar por um mau pedaço com o que vem por aí.

Juntando as previsões de Ethevaldo com a de outros futurólogos, veja quatro situações que vão ocorrer até 2025:

 

1 – Fim dos jornais, revistas e livros impressos.

2 – Fim da TV aberta e da TV a cabo.

3 – Fim das empresas de telefonia.

4 – Fim da educação exclusiva em sala de aula, como existe hoje.

 

LEIA MAIS:

Crise dos jornais impressos: Valor Econômico demite 50 profissionais para sobreviver

“Caladão da TIM” demora 40 horas para sair no POP. Mas, jornal impresso é isso mesmo

Leitor de jornal impresso é cada vez mais velho, apontam pesquisas no Brasil e EUA

Morte dos jornais impressos; nem migrando para a internet grandes veículos vão sobreviver

Jornal impresso: três dias depois, Tribuna conta o que todo mundo já sabe sobre a filiação de Friboi ao PMDB

Fim dos jornais? Internet é mídia mais importante para 88% dos brasileiros, mostra pesquisa