Roberto Civita, morto neste domingo, já previa o fim da Veja impressa

Roberto Civita, filho de Victor Civita, fundador do Grupo Abril, que morreu neste domingo aos 76 anos, já vinha admitindo o fim da edição impressa da revista Veja e a sua sobrevivência somente em meio online.

Otimista, Roberto Civita acreditava que a Veja ainda poderia perdurar pelos próximos 40 anos, mas, inevitavelmente, acabaria concentrada apenas na edição online. Ele destacava, contudo, que a informação “filtrada e organizada”, com “análises inteligentes”, não deixará de existir. “Eu não consigo imaginar o mundo sem veículo de informação”, disse.

A Abril S/A, que inclui a Editora Abril, gráfica, logística e distribuição, anunciou uma queda de 65,5% de seus lucros em 2012 em relação a 2011. Mas a revista Veja, principal veículo e fonte de captação de receitas do Grupo, continua com circulação superior a um milhão de exemplares, atingindo um público leitor de 10 milhões de pessoas.