Paulo Garcia e Gomide negociam contrato com ciberguerrilheiro stalinista

Os prefeitos de Goiânia, Paulo Garcia (PT), e de Anápolis, Antônio Gomide (PT), negociam a contratação de um famoso ciberguerrilheiro para atuar nas redes sociais. O nome dele é André Guimarães. André é dono da franquia Rede PT13, cuja especialidade é difamar desafetos, tripudiar sobre adversários e macular reputações.

É André quem assina a violenta guerra virtual que se armou contra a blogueira cubana Yoani Sánchez, alvo da perseguição de jovens de esquerda brasileiras por ocasião de sua visita ao País.

A ciberguerrilha, antes feita em caráter amador, agora virou negócio. A revista Veja informa que, identificando-se como “consultor de mídias sociais”, André Guimarães percorre prefeituras petistas atrás de clientes. Ele oferece pacotes que custam entre dois e R$ 30 mil.

André tem o aval do deputado federal André Vargas (PT-PR), vice-presidente nacional e secretário de comunicação do PT. Além de avalista de Guimarães o deputado também é seu patrão. O ciberguerrilheiro foi contratado como assessor especial em seu gabinete.

Os contatos do ciberguerrilheiro petista em Goiânia foram costurados por seu chefe, o deputado Vargas, que é amigo pessoal do Vereador Carlos Soares (PT) e de seu irmão, o mensaleiro Delúbio Soares.

Vargas foi quem defendeu publicamente o retorno de Delúbio ao partido. Além do mais, como secretário nacional do PT ele desenvolveu um bom relacionamento com Rubéns Otoni (PT-GO) irmão de Antônio Gomide, atual prefeito de Anápolis, e responsável pelo contato na cidade (em seu blog Vargas faz várias referências a Otoni).