POP, DM e O Hoje não informam número de pessoas no protesto

Os principais jornais do Estado – O Popular, Diário da Manhã e O Hoje – publicam matérias, nesta quarta-feira, sobre os distúrbios de rua durante manifestação dos estudantes contra o aumento das tarifas do transporte coletivo.

As reportagens, com destaque na primeira página, não avaliam com precisão o número de pessoas que participaram do protesto.

Nem de longe, aliás.

O Diário da Manhã sequer faz referência ao detalhe. O jornal O Hoje afirma que foram “centenas de estudantes”, sem dar nenhum número.

O Popular também fala em “centenas de estudantes”. Em um box, informa que 200 estudantes se abrigaram no prédio Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás (UFG), no Setor Universitário. Mais nada.

Os grandes jornais brasileiros jamais incorreriam em um erro desse tamanho. Toda e qualquer manifestação pública é sempre avaliada, quanto ao número de participantes, nas matérias do Estadão, da Folha e de O Globo, dentre outros, para que o leitor tenha a informação mais aproximada possível sobre o que de verdade se passou.

 

LEIA MAIS:

Protestos contra tarifas ganham novas manchetes, mas Paulo Garcia segue calado

Passagem de ônibus aumenta no Rio de Janeiro (R$ 2,95) e ainda é mais barata que em Goiânia

Estudantes enfrentam a polícia nas ruas: cadê Mauro Rubem, Marina, Major Araújo, Daniel Vilela, dona Iris…?

Em vez de reduzir preço da passagem, CMTC convoca coletiva para bater no Procon. Ah, nem, Paulo Garcia!!!

Manifestantes tentam invadir terminal, jogam pedras e coquetel molotov. Polícia reage com vigor

O pau ia quebrar mesmo: veja o cartaz de convocação do protesto dos estudantes

Essa confusão é sua responsabilidade, Paulo Garcia: estudantes entram em confronto com a polícia e incendeiam ônibus

Em ato de vandalismo, manifestantes colocam fogo em ônibus na Praça da Bíblia. Paulo Garcia, a culpa é sua