Com Caiado, Goiás cai do topo para sétimo lugar na geração de empregos formais no País

Resultado da investida contra os incentivos fiscais e do arrocho contra o funcionalismo público patrocinados de forma impiedosa pelo governo Ronaldo Caiado (DEM), Goiás despencou na geração de empregos já nos primeiros meses de 2019, mostra o último levantamento feito pelo Ministério do Trabalho.

Segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), a economia goiana ficou na sétima posição na geração de empregos formais em fevereiro de 2019. No segundo mês deste ano, o Estado gerou 5.977 novas vagas. Em janeiro, foram gerados 3.777 postos de trabalho, totalizando 9.754 novos empregos.

No mesmo período de 2018, o saldo acumulado do emprego, ou seja, o somatório dos saldos de janeiro e fevereiro totalizaram 11.183 vagas de emprego com carteira assinada geradas em Goiás. Assim, no primeiro bimestre de 2018, com Marconi Perillo governador, Goiás teve o melhor saldo de geração de empregos dos então último quatro anos.

Os dados do Caged são a crônica de uma tragédia anunciada: mostram, na prática, os efeitos dos mostruosos desacertos do governo Caiado.

Tragédia total.