Catalão: Velomar pode ser indiciado por licitações irregulares em sua gestão

O ex-prefeito de Catalão Velomar Rios (PMDB) está na mira da Polícia Civil e pode ser indiciado por contratações irregulares referentes a quando administrava o município.

Velomar pode responder pelo crime de improbidade administrativa caso o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) encontre novas irregularidades nos contratos com prestadores de serviço.

São 13 pessoas já indiciadas e ligadas a 36 empresas que prestaram serviços à prefeitura na gestão de Velomar. Em um caso curioso um funcionário da prefeitura concorreu à licitação e ganhou. Ou seja, foi fiscalizador de seu próprio negócio. Um ato absurdo e que mostra a desorganização administrativa que imperava na gestão do PMDB.

O delegado de Crimes contra o Patrimônio Público, Jerônimo Rodrigues, disse na época que várias empresas de segurança privada funcionavam sem autorização da Polícia Federal.

Jerônimo também ressaltou que alguns dos indiciados chegaram a admitir que desconheciam ter sociedade com as empresas que prestavam serviço à prefeitura, demonstrando que supostamente era usados como “laranjas” para vencerem os contratos, que podiam chegar ao valor de R$ 1 milhão.

Uma das empresas que faturavam cerca de R$ 2 milhões em contratos firmados com a prefeitura pertencia ao ex-motorista do ex-prefeito Adib Elias (PMDB), conhecido como Junim do Adib. Registrado como José Francisco Custódio Júnior ele está na lista dos indiciados por manter uma empresa em condições ilegais.

Outra irregularidade que Velomar deixou passar foi que três empresas funcionavam num mesmo endereço.