Caiado planeja apertar ainda mais o cinto dos servidores com novas medidas de arrocho

Por trás da pressa do governo Ronaldo Caiado (DEM) em fazer de Goiás o primeiro Estado a aderir ao Plano de Equilíbrio Fiscal (PEF) bolsonarista está a intenção de aproveitar as medidas de arrocho das contas públicos para apertar ainda mais o cinto dos servidores públicos estaduais.

O funcionalismo é um dos vilões da crise financeira criada por Caiado e a supersecretária forasteira e primeira-ministra da Economia, Cristiane Schmidt – o outro a política de incentivos fiscais. O governador e a auxiliar carioca repetem diariamente o mantra maligno de que só haverá equilíbrio com cortes drásticos da folha.