Desde sexta, empresas de ônibus não precisam pagar PIS e Confins. Mas o preço da passagem não baixa

Já está valendo a desoneração fiscal que desobriga as empresas de ônibus, inclusive as de Goiânia, de pagar o PIS e o Confins.

Matéria de O POPULAR confirma que a medida provisória da Presidência da República que zera a cobrança da contribuição para o PIS e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) para empresas do transporte coletivo de passageiros foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) da última sexta-feira (31).

A partir de então, a alíquota de 3,65%, somado as duas taxas, sobre o faturamento das empresas não é mais cobrado.

Em Goiânia, com a retirada do percentual, o preço da tarifa cairia de R$ 3 para R$ 2,89, segundo cálculos de O Popular.

Como o preço da passagem não baixou nem vai baixar, a diferença passa agora a ser embolsada pelos empresas de ônibus.

 

LEIA MAIS:

Novo protesto contra aumento da tarifa de ônibus será na quinta-feira, em frente ao Teatro Goiânia

Vem vindo uma rasteira por aí: empresas nem pensam em reduzir a tarifa por causa da desoneração fiscal

Reajuste das tarifas de ônibus em Goiânia: exemplo de falta de comando de Paulo Garcia

Empresários do transporte coletivo vão aproveitar desoneração para baixar a passagem em… 0,10 centavos