O administrador do Palácio na época de Maguito Vilela é condenado por improbidade administrativa

Geraldo Bibiano, da velha guarda do PMDB, foi condenado pelo Tribunal de Justiça de Goiás por irregularidades cometidas como gestor das despesas do Palácio das Esmeraldas na época em que o governador do Estado era Maguito Vilela.

O escândalo repercutiu nacionalmente. A Folha de S. Paulo, em matéria publicada em março de 1999, afirmou que recursos da chamada verba secreta do Palácio foram desviados por Geraldo Bibiano e teria sido usado para pagar despesas de Maguito com dentista, compra de roupas e de móveis, o que estaria fora da sua destinação legal.

De acordo com o juiz Fernando de Mello Xavier, está comprovado que Geraldo Bibiano autorizou a aquisição dos móveis para o Palácio sem a realização de licitação. “Geraldo Bibiano atuou de forma negligente na função de Secretário Extraordinário e na condição de ordenador de despesas, ignorando as regras da Lei de Licitações e princípios administrativos, ao permitir a aquisição direta dos móveis para o Palácio do Governo incorreu em improbidade administrativa, na medida em que acarretou ofensa da legalidade, por frustrar o procedimento licitatório, propiciando enriquecimento de terceiro”, afirmou o juiz.

Bibiano foi condenado a devolver pouco mais de R$ 17 mil aos cofres públicos, valor que deverá ser bem maior porque será corrigido monetariamente desde a época até o momento do pagamento.