JA1 mostra cais Nova Era em colapso: Mrué exportou know-how para Aparecida

O repórter Guilherme “pois-é-Lilian” Mendes abriu o Jornal Anhanguera desta quarta-feira com um relato ao vivo sobre o colapso no cais Nova Era, em Aparecida de Goiânia, nesta quarta-feira. A recepção do local estava lotada de pacientes irritados e enfermos. Um cenário que lembrou muito os cais de Goiânia, administrados pela secretária Fátima Mrué.

Rei de Aparecida: na TBC, Nonato diz que está magro e celebra ótima fase

Só curtindo a ótima fase, Nonato concedeu entrevista ao jornalista Cid Ramos, da TBC. Num papo descontraído, no campo do estádio Annibal Batista de Toledo, o jogador disse que o gol contra o Botafogo e classificação da Aparecidense na Copa do Brasil representam um dos grandes feitos de sua longa carreira.

Mau exemplo: Mendanha larga Aparecida para discutir eleição com Iris

É bom que o eleitor de Aparecida saiba que Gustavo Mendanha foi um dos cerca de 20 prefeitos do MDB que deixaram seus afazeres nos respectivos municípios para discutir eleição com o prefeito Iris Rezende (MDB) na última quinta-feira. 

Na Interativa, Zé Luiz diz que Aparecida está suja e mal cuidada

José Luiz Martins, apresentador da rádio Interativa, deixou quentes as orelhas do prefeito Gustavo Mendanha (MDB) e auxiliares na manhã desta quinta-feira ao afirmar, ao vivo, que “Aparecida de Goiânia está suja e mal cuidada”. Zé falou em buracos, sacos de lixo e mato alto. 

Mendanha e Roberto Naves começam 2018 como terminaram 2017: parados

Eleitos sob o mantra da renovação, os prefeitos de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB), e de Anápolis, Roberto Naves (PTB), tiveram um primeiro ano de mandato decepcionantes. E, para piorar, começam 2018 tão estacionados quanto estavam em 2017.

Mendanha mantém fechado Hospital Municipal de Aparecida que custou R$ 64 milhões

São 21 mil metros quadrados de área. Blocos de pediátrica, geriatria dois para clínica médica e dois para pós-cirurgia. 220 leitos, dos quais 60 são cirúrgicos. E está tudo parado porque o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) não consegue por a estrutura para funcionar. 

Mendanha abandona Aparecida para participar de campanha de Daniel em Iporá

Em plena quinta-feira, mais conhecida como hoje, ele largou a prefeitura para participar do Encontro de Muladeiros, em Iporá. Ele está de batedor para o deputado Daniel Vilela, que está fazendo campanha na cidade, assim como o senador Ronaldo Caiado.

Exclusivo: OAB recorrerá da decisão que cassou sentença que limitava número de presos em Aparecida

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás (OAB-GO), Lúcio Flávio de Paiva, afirmou ao Goiás 24 Horas que vai recorrer da decisão da desembargadora Amélia Martins Araújo que cassou, na noite desta quarta-feira, a sentença do juiz federal Leão Aparecido Alves que dava 10 dias de prazo para transferência de detentos do Complexo Agroindustrial de Aparecida até o limite máximo de 400 presos.

Justiça cassa decisão que limitava a 400 número de presos em Aparecida

Caiu a decisão do juiz Leão Aparecido Alves que determinou a transferência de detentos do Complexo Agroindustrial de Aparecida para presídios federais e a redução do número de presos ao limite máximo de 400. Quem cassou a tutela foi a desembargadora Amélia Martins Araújo, via liminar. 

“João do Buraco”: espantalho sinaliza buracos em ruas de Aparecida

TV Anhanguera mostra que novo personagem perambula por Aparecida: é o “João do Buraco”, um espantalho que avisa aos motoristas incautos a existência de buracos – ou crateras, melhor dizendo – que colocam em risco não só os eixos e amortecedores dos carros, como a vida das pessoas. 

Assim não dá: vistoria no Complexo de Aparecida volta a achar armas

Vistoria realizada na manhã desta terça-feira no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, palco de três rebeliões nos primeiros cinco dias do ano, encontrou quatro pistolas, um revólver, 600 munições, uma granada e três explosivos de mão fabricados de forma artesanal.

Exclusivo: 500 presos de Aparecida podem ser mandados para presídios federais

Pode chegar a 500 o número de presos que serão transferidos para presídios federais depois que o juiz Leão Aparecido Alves determinou que os detentos mais perigosos do Complexo Agroindustrial de Aparecida de Goiânia devem ser mandados para cadeias administradas pelo governo federal.