JBS sonega informações sobre compra de empresas e será investigada pelo Cade

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) inicia quarta-feira a análise de quase uma centena de aquisições do grupo JBS/Friboi que não teriam sido devidamente notificadas ao órgão de defesa da concorrência. Segundo jornal O Estado de S.Paulo, com a ajuda do BNDES, a empresa da família Batista tornou-se, em pouquíssimo tempo, a maior fornecedora mundial de proteína animal.

A holding J&F, que comanda o JBS, é presidida por Joesley Batista. É esse crescimento vertiginoso que será esquadrinhado pelo Cade. O jornal diz que estimativas iniciais mostram que a empresa pode ter triplicado de tamanho nos últimos quatro anos, elevando sua participação no mercado de carne bovina de 15% para 40%.

O Cade vai reunir em um mesmo processo a análise de seis casos de aquisição do JBS, incluindo a polêmica compra do frigorífico Bertin. A empresa pode ser multada se o órgão avaliar que as operações deveriam ter sido informadas. Segundo fontes ligadas à empresa, O JBS entende se tratar de operações de arrendamento, e não de compra, e que, portanto, não haveria necessidade de informar o Cade sobre as informações.

(Informação publicada na coluna Fio Direto, do Diário da Manhã, dia 18 de fevereiro)

Compartilhe