Jornalista do POP critica políticos, mas se esquece que a grande imprensa também é alvo dos protestos

A jornalista Silvana Bittencourt escreve artigo na página de opinião de O Popular, sob o título, “Movidos a adrenalina”, em que critica a correria da classe política e dos Governos para entender e atender as demandas colocadas pela onda de manifestações em todo o país.

Silvana é mais um integrante da equipe de profissionais de O Popular que pontifica e filosofa contra os políticos, esquecendo-se de que a grande imprensa – de que o Grupo Jaime Câmara é o maior símbolo em Goiás – também tem sido alvo dos protestos de rua.

Isso tanto é verdade que quatro veículos do GJC, três da TV Anhanguera e um de O Popular, foram depredados nas manifestações da última segunda-feira em Goiânia, com a turba gritando “imprensa nojenta, não me representa”.

Jornalistas da TV Anhanguera também foram hostilizados nas ruas e passaram a trabalhar sem identificação, ocultando as logos do GJC e da Rede Globo.

Nada disso existe no artigo de Silvana Bittencourt. Os políticos, só os políticos, é que são culpados e devem uma resposta às ruas.

A imprensa, não. A imprensa é santa.

 

LEIA MAIS:

Blog 24 Horas avisou, equipe do POP ignorou: há insatisfação das ruas com a grande imprensa

A mídia também está sob ataque. Leia artigo de Marcelo Coelho (Folha)

TV Anhanguera tenta minimizar ataque a veículos do GJC e diz que só haviam “oito ou dez vândalos” no protesto. Qual é?

Repórter começa com logotipos do GJC e Globo, afina e termina reportagem sem nenhuma identificação

“Imprensa nojenta, não me representa”, gritam manifestantes para repórteres da mídia tradicional em Goiânia. Tá ficando grave!

Ataque a carro de O Popular é o primeiro contra um jornal impresso em todo o país

Ataque dos manifestantes à grande imprensa deixa jornalistas perplexos e desorientados