Exclusivo: ruas cheias de buracos causam insatisfação ao povo de Goianésia, que reclama do dinheiro público, mais de R$ 1 milhão, torrado no carnaval

Nota 10 para o prefeito caiadista de Goianésia, Renato de Castro (MDB), no quesito festa. Mais de R$ 1 milhão foram gastos na realização do Carnaval deste ano na cidade. Mas a população segue insatisfeita com a atuação de Renato de Castro em todos as outras áreas. É nota zero.

Vídeos compartilhados pelo Whatsapp mostram a situação precária das ruas da cidade. Por causa dos inúmeros buracos, os carros precisam fazer zigue-zague e até entrar na contramão para não danificar os veículos.

Renato de Castro foi proibido, em 2017, de usar dinheiro público no evento. Já em 2018, foi aberto inquérito para apurar suposto uso de verba pública no evento. Foram investigadas a legalidade do evento e possíveis condutas ilícitas sobre o dinheiro que financiou o carnaval daquele ano.

Segundo o Ministério Público de Goiás, no mesmo ano, não foi fornecido uniforme aos alunos da rede municipal de educação, não havia vagas nas creches e, por falta de fiscalização e aplicação de verba em defesa do meio ambiente, o aterro da cidade teria se transformado em lixão. Uma das escolas do município, inclusive, teria problemas de esgoto a céu aberto.