Câmara reage à tentativa absurda de Iris de criar taxa de lixo em Goiânia para cobrir incompetência da prefeitura

Goiânia

Os vereadores Lucas Kitão (PSL) e Delegado Eduardo Prado (PV) apresentaram, na manhã desta terça-feira (14/11), um requerimento exigindo que a Prefeitura de Goiânia comprove, por meio de dados, a necessidade da criação da controversa “taxa do lixo”.

Anunciado pelo prefeito Iris Rezende (PMDB) durante coletiva de imprensa, o imposto seria cobrado de todos os imóveis na capital. A justificativa é, claro, a crise financeira e administrativa pela qual passa a gestão municipal.

Para o delegado, que está à frente de trabalho da Câmara contra o aumento dos combustíveis, não é possível usar a desculpa da falta de recursos para aumentar impostos. “Estamos batendo em cima da questão de reformular a prefeitura. Não dá para jogar nas costas do contribuinte. Que se resolva os desmandos da gestão”, completou.No entanto, os parlamentares, que já se posicionaram contra, argumentam que a população não pode pagar pela ingerência do poder público. “A carga tributária já é altíssima e, na atual conjuntura econômica, passar a conta para o cidadão é o pior dos mundos”, asseverou Kitão.

O requerimento já recebeu apoio de mais de 20 dos 35 vereadores.

Segundo Elias Vaz (PSB), a Câmara Municipal não pode aceitar que a taxa do lixo seja criada por meio de um decreto e deve rejeitar qualquer projeto de lei do Paço neste sentido.

“Não é possível que a sociedade, que não aceitou a cobrança dos condomínios verticais, e agora prefeito quer cobrar de todo mundo. Ele está vivendo outra realidade, não percebe que a população não consegue pagar mais taxas e espera uma melhor gestão”, completou. (Jornal Opção)