“Não podemos aceitar retrocessos”, diz Lêda Borges sobre cortes no Passe Livre Estudantil

Durante audiência pública realizada na manhã desta sexta-feira (10), na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), que discutiu as mudanças no programa Passe Livre Estudantil, a deputada estadual Lêda Borges (PSDB) classificou como retrocesso os cortes no benefício propostos pela governadoria.

“O momento é de resistência. Não podemos aceitar retrocessos de conquistas adquiridas por meio de luta. Por este motivo sou contrária a este projeto de lei, pois é isto que ele promove: retrocesso. A classe estudantil não pode pagar pela falta de compromisso do Governo atual”, disse.

Para a parlamentar, as políticas públicas para a juventude não podem ser segmentadas. “Todos que utilizam o transporte público necessitam do benefício. Precisamos acabar com esse estigma que as pessoas têm tentado criar de que alguns estudantes não precisam do benefício. É óbvio. Quem utiliza transporte público precisa do Passe Livre”.

Lêda Borges pediu ainda a mobilização dos estudantes. O Passe Livre Estudantil é um programa de Estado e não de um Governo. Conclamo a todos que ocupem as galerias da Assembleia Legislativa para lutarmos juntos contra esse grande absurdo”, pediu.

Audiência Pública

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Alego, realizou, por iniciativa do deputado Talles Barreto (PSDB), debate sobre as mudanças e os cortes de 62.418 estudantes do Passe Livre Estudantil, propostos pelo governador Ronaldo Caiado (DEM).

Presidida pelo tucano, a mesa de debates contou com as presenças dos deputados Lissauer Vieira, presidente da Alego, Coronel Adailton (PP), Lêda Borges (PSDB), Hélio de Sousa (PSDB) e Alysson Lima (PRB). Também integraram a mesa: a coordenadora do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Goiás (UFG), Letícia Scalabrini; a tesoureira da União dos Estudantes, Mariana Falone; a diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Goiás, Thaís Falone; e a diretora do Grêmio da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, Nair Mariza Silva.

Durante o debate, os participantes deram sugestões para a criação de projeto alternativo que contemple todos os estudantes. Talles Barreto colheu todas as propostas para a criação de uma carta a ser encaminhada ao governador e demais autoridades envolvidas na questão. “Queremos um projeto que venha efetivamente contemplar a Educação no Estado de Goiás de modo geral”, disse.