“Não acho correto continuar recebendo salário sem prestar o respectivo serviço” diz Sebastião Peixoto ao pedir demissão do Imas

Sebastião Peixoto pediu demissão e deixou definitivamente a presidência do Instituto de Assistência à Saúde e Social do Servidores Municipais de Goiânia (IMAS). Sebastião Peixoto foi vítima de uma acusação e investigação do Ministério Público na Operação Fatura Final. Porém, nenhuma prova foi encontrada contra o ex-presidente, não houve dano aos cofres públicos e nada ficou provado contra o ex-presidente, que permanecia no cargo afastado. Ao descobrir a intenção do ex-diretor, Carlos Henrique Bahia, de montar um esquema para faturar irregularmente no Instituto Peixoto o demitiu, suspendeu os pagamentos das notas fiscais e denunciou o caso ao Ministério Público. Porém acabou vítima de perseguição política.
Baseando-se no testemunho da diretora de saúde, Maria Madalena, que foi desmentida publicamente, o Ministério Público chegou a prender o ex-presidente.
Sebastião Peixoto tem lutado para provar sua inocência e pediu demissão porquê não acha justo receber sem trabalhar, estando apenas afastado do cargo. Veja a carta renúncia que ele enviou ao prefeito Iris Rezende:

RENU?NCIA ao cargo de Presidente do IMAS