“Os danos à minha vida são imensuráveis”, diz Afrêni sobre efeitos da Operação Decantação, após rejeição de denúncia pela Justiça

O ex-diretor da Saneago e ex-deputado estadual Afrêni Gonçalves classifica de imensuráveis os efeitos das denúncias da Operação Decantação sobre sua vida profissional e pessoal.

O severíssimo juiz Rafael Ângelo Slomp, da 11ª Vara da Justiça Federal de Goiânia, rejeitou a denúncia da Decantação feita pelo Ministério Público Federal (MPF), afirmando que ela é “inepta” e sem provas.

“O reparo do ponto de vista moral não acontece nunca. O maior patrimônio de um homem é o seu nome, a sua dignidade. Existem dois Afrênis, um de antes de agosto de 2016 e depois daí”, disse Afrêni, em entrevista à Rádio Bandeirantes 820, nesta quarta-feira (29).

“O maior patrimônio é meu nome, mas esse tipo de Operação trouxe um prejuízo financeiro para a Saneago, para a sociedade e para o Estado”, afirmou ele à rádio, em declaração também reproduzida pelo site de notícias Diário de Goiás.