Deputada Lêda Borges critica decreto que modifica RIDE: populista e não leva benefícios ao Entorno de Brasília

A deputada estadual Lêda Borges (PSDB) criticou o decreto que modifica a regulamentação da Rede Integrada de Desenvolvimento do Entorno (Ride), assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), no último dia 12 de julho. Para ela, medida é apenas burocrática e não traz melhoria à região.
Apesar de ter sido comemorada pelo governador Ronaldo Caiado, a medida não foi bem vista pela oposição do Governo na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Representante da Região do Entorno no legislativo estadual, Lêda Borges criticou a medida.
Segundo ela, o decreto é meramente burocrático. Isso porque conforme a parlamentar, a medida apenas edita os nomes dos ministérios e órgãos responsáveis por nomear os componentes do Conselho Administrativo da Ride.
“Esse decreto não traz benefício algum à região. Não há nada de concreto, nenhuma benfeitoria à população do local. Até o momento o governador não solucionou os problemas e aflições de quem mora no Entorno. A comemoração da RIDE é apenas uma forma de populismo, já que ela ainda não saiu do papel”, afirmou.
A parlamentar também voltou a criticar a oposição do governador à criação da Região Metropolitana de Brasília no primeiro semestre de 2019. “Seria mais uma forma de integrar recursos e planejamento. A região teria mais investimentos em transporte, mobilidade, emendas distritais, convênios na saúde e políticas públicas integradas, o que possibilitaria melhores condições de vida para quem é da região”, disse.