“Vamos viver o desmonte da Saúde”, alerta Lêda Borges

Em discurso na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), a deputada estadual Lêda Borges (PSDB) alertou a possibilidade de desmonte na área da Saúde no Estado.  No pronunciamento realizado na tarde desta terça-feira (20), a parlamentar criticou a provável demissão de mais de 400 técnicos de enfermagem e 146 médicos do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).
A unidade de saúde passa por processo de mudança de gestão. O Instituto Haver dá espaço ao Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa e Tecnologia Inovação na Gestão Pública (INTS). E, segundo a tucana, a OS selecionada, que responde por vários processos judiciais, irá dispensar mais de 500 funcionários.
“Hoje recebemos a notícia de que 452 técnicos de enfermagem e 146 médicos do Hugo serão dispensados. Depois de viver um momento de muita referência nacional na época de Marconi Perillo, vamos viver mais um momento de colapso na Saúde em Goiás”.
De acordo com Lêda Borges, a nova gestora possui por 47 ações trabalhistas. Além disso, responde direta ou indiretamente por 149 judiciais. “Sai uma OS que fez um trabalho sensacional e entra outra com diversos processos. Entra outra que vai demitir uma série de funcionários. Isso é uma afronta ao cidadão”, comentou.
Para a parlamentar, o atual governo não possui política social, garantia salarial, política de Educação ou Saúde. “O governador Ronaldo Caiado só tem uma preocupação: desmoralizar e destruir a liderança de Marconi Perillo. Não há explicação para o que ele falou sobre a família de Perillo”. E completou: “Você precisa querer ser governador para atender o povo, para melhorar as políticas públicas, para avançar. Desça do palanque e trabalhe!”, disparou.