À procura de um interlocutor para acertar o passo com o Fisco, Caiado pensou em escalar Cláudio Meirelles, mas foi desaconselhado pela fama de encrenqueiro do deputado

As críticas bem fundamentadas do pessoal do Fisco à política fiscal do governo estadual e  também questões pontuais, como a extensão da quebra do sigilo fiscal aos procuradores do estado, estão causado desconforto ao governador Ronaldo Caiado.

Caiado não quer confrontar com os auditores fiscais, mas tem dificuldade em encontrar um interlocutor confiável na área.

No primeiro momento, pensou em recompor com o deputado Cláudio Meirelles (PTC) e escalá-lo para a missão, mas foi desaconselhado devido ao histórico de encrencas do parlamentar.