Devilla disse na carta-renúncia à reitoria da UEG que sua permanência no cargo era cômoda para Caiado, que não se preocupa com eleição e reestruturação da universidade

Na carta-renúncia da reitoria da UEG, Ivano Devilla relata que para o governador Caiado era muito bom e cômodo que ele permanecesse no cargo, uma vez que não se preocupa com a necessidade de eleição e reestruturação da universidade.

Devilla concluiu que sua biografia estaria definitivamente manchada se ficasse calado e aceitasse a asfixia da UEG.

Daí, decidiu renunciar.